484 Visita(s)

O Mundo Militar tem algumas bizarrices, mas acredito que a maior de todos os tempos tenha sido protagonizada pela Austrália em 1932, quando foi montada uma operação de guerra para exterminar 20 mil emus (não confundir com emas apesar de serem da mesma família), o interessante é que realmente a Austrália perdeu a guerra, não se tratando isso de piada, pois o objetivo não foi cumprido e os reveses sofridos pela tropa são dignos de uma ópera bufa.

Mas o que é um Emu?
A ema (Rhea americana), o avestruz (Struthio camelus) e o emu (Dromaius novaehollandiae) são aves que não voam e que compartilham entre si um ancestral comum mais recente que aquele que compartilham com outros grupos de aves. … A ema ocorre no sul da América do Sul, o avestruz é africano e o emu ocorre na Austrália.

1. O Prenúncio da Guerra

De acordo com a Wikipedia, após a Primeira Guerra Mundial, um grande número de veteranos dispensados que serviram na guerra recebeu terras do governo australiano para assumir a agricultura dentro da Austrália Ocidental, muitas vezes em áreas agrícolas marginais. Com o início da Grande Depressão em 1929, esses agricultores foram encorajados a aumentar suas culturas de trigo, com o governo prometendo — e não entregando — assistência sob a forma de subsídios. Apesar das recomendações e dos subsídios prometidos, os preços do trigo continuaram a cair, e em outubro de 1932 as questões estavam se tornando intensas, com os agricultores se preparando para colher a safra da estação, ao mesmo tempo em que ameaçavam se recusar a entregar o trigo.

As dificuldades enfrentadas pelos agricultores foram aumentadas com a chegada de até 20.000 emus. Emus migram regularmente após sua temporada de reprodução, indo para a costa a partir das regiões interiores. Com a terra desmatada e suprimentos adicionais de água sendo disponibilizados para o gado pelos agricultores australianos ocidentais, o emus descobriram que as terras cultivadas eram um bom habitat, e eles começaram a incursão em território agrícola — em particular as terras agrícolas marginais ao redor de Chandler e Walgoolan.  O emus consumiram e estragaram as plantações, além de deixar grandes lacunas em cercas onde os coelhos poderiam entrar e causar mais problemas.  É parceiro, a Austrália definitivamente naquela época não era para amadores.

Os agricultores solicitaram ajuda ao Governo, relatando suas preocupações sobre as aves devastando suas plantações, e uma delegação de ex-soldados foi enviada para se reunir com o Ministro da Defesa, Sir George Pearce.

Tendo servido na Primeira Guerra Mundial, os soldados-colonos estavam bem cientes da eficácia das metralhadoras, e eles pediram que elas fossem usadas. O ministro prontamente concordou, embora com condições anexadas: as armas deveriam ser usadas por militares, o transporte de tropas deveria ser financiado pelo governo australiano ocidental, e os agricultores forneceriam comida, acomodação e pagamento pela munição.  Pearce também apoiou a implantação sob a alegação de que as aves fariam boas práticas de alvo, enquanto também foi argumentado que alguns no governo podem ter visto a operação como uma maneira de ajuda aos agricultores australianos ocidentais, para evitar o movimento de secessão que estava se formando. 

2. Os primeiros movimentos da Guerra

Para Comandar a tropa do Governo Australiano foi escolhido o Major G. P. W. Meredith da Sétima Bateria Pesada da Artilharia Real Australiana, que comandava um Sargento, um atirador e alguns soldados, o poderio bélico era composto de 2 metralhadoras leves Lewis e 10 mil cartuchos, A Guerra deveria ter começado em Outubro de 1932, mas chuvas intensas acabaram por espalhar os bandos de emus. Com o fim das chuvas no dia 02 de Novembro de 1932 50 emus foram avistados perto de Campion, os fazendeiros tentaram emboscar os pássaros, mas ao ouvir os tiros eles se dividiram em pequenos grupos que corriam para longe do alcance das armas, mais tarde um pequeno grupo foi cercado e 12 aves foram mortas.

No dia 04 de novembro 1000 aves foram emboscadas pelo major ao se dirigirem para sua posição perto de uma Represa e os atiradores esperaram que elas se chegassem mais perto, mas a arma travou e as aves correram para longe com apenas 12 baixas novamente

3. Começa a reviravolta

Após 4 dias de combates os soldados perceberam que as aves se dividiram em grupos menores e uma das aves sempre ficava de prontidão enquanto as outras devoravam as lavouras, O Major então teve a brilhante ideia de colocar uma metralhadora em cima de um caminhão, mas a técnica se mostrou desastrosa já que o sacolejar do veículo devido ao terreno esburacado e íngreme impediam que o atirador acertasse qualquer ave e o ardil foi abandonado.

Em 08 de Novembro, 06 dias após o início da ofensiva, cerca de 50 aves tinham tombado e os Militares haviam gasto 2500 cartuchos, e, o ornitólogo Dominic Serventy comentou em um artigo de jornal:

Os sonhos dos atiradores de tiros à queima-roupa em massas cerradas de emus foram logo dissipados. O comando dos emus tinha evidentemente ordenado táticas de guerrilha, e seu exército imanuseável logo se dividiu em unidades pequenas que tornaram o uso do equipamento militar algo não-econômico.

Uma força de combate cabisbaixa se retirou da zona de combate após 1 mês

4. A Segunda Ofensiva

Após a retirada dos militares os emus voltaram com força total a assolar as plantações e com isso os agricultores pediram novamente ajuda ao Governo Australiano que foi novamente atendida, O Major Meredith retomou a ofensiva e em cerca de 10 dias Meredith afirmou ter matado 986 Emus com 9860 balas ou 10 balas para cada ave.

Em dezembro de 1932, a notícia da Guerra dos Emu se espalhou, chegando ao Reino Unido. Alguns conservacionistas protestaram contra o abate como “extermínio do emu raro”. Dominic Serventy e Hubert Whittell, os eminentes ornitólogos australianos, descreveram a “guerra” como “uma tentativa de destruição em massa das aves”.

Os relatórios do Major foram considerados fantasiosos e historiadores acreditam que durante a campanha apenas cerca de 300 emus foram mortos

 5. Conclusão

Após 16 anos do conflito os Emus ainda eram um problema, mas recompensas por abate de ave aliadas a barreiras de exclusão deram resultados positivos á partir de então.

6. Memes

Os Australianos lógico, não perdoam o episódio, e abaixo veja uma coleção de memes sobre o assunto.